Museu de Arte de Sao Paulo

Auguste Rodin

28 Oct 2009 - 03 Jan 2010

Auguste Rodin
A Eterna Primavera, 1881-1884
AUGUSTE RODIN
Rodin: Do Ateliê Ao Museu - Fotografias E Esculturas
28 Outubro 2009 - 03 Janeiro 2010

Uma mostra com esculturas e fotografias inéditas de um dos principais artistas franceses, o escultor Auguste Rodin, chega ao MASP após bater o recorde de visitação da Casa Fiat de Cultura, em Belo Horizonte (MG). Rodin: do Ateliê ao Museu - Fotografias e Esculturas reúne pela 1a vez no Brasil 193 fotografias e 22 esculturas, algumas delas debutando fora da terra natal de Rodin (1840-1917).

Com curadoria de Hélène Pinet, responsável pelo setor de Fotografia do Museu Rodin, e Dominique Viéville, diretor da instituição, a mostra faz parte das ações comemorativas do MASP ao Ano da França no Brasil. A exposição foi trazida ao Brasil pela Base7 Projetos Culturais, que organizou a vinda de todas as obras e produziu o evento.

"A importância da mostra vai além de uma viagem profunda pelas obras de Rodin. O ineditismo de algumas esculturas, pela primeira vez exibidas fora do Museu, também enriquece ainda mais o cenário", explica Maria Eugênia Saturni, diretora da Base7.

Após a temporada no MASP, as imagens serão mantidas em reserva técnica durante cinco anos para conservação. A mostra traz imagens registradas por diferentes fotógrafos (alguns profissionais hoje esquecidos, outros jovens que se iniciavam na profissão, alguns amadores e outros, ainda, ligados à edição) contratados pelo próprio artista, entre 1880 e 1910. As cenas trazem ao público o processo criativo de Rodin em seu ateliê, em Paris, e revelam sua fascinação pela fotografia, arte que nascera apenas um ano antes dele. As fotos também foram utilizadas para divulgação na imprensa, o que parece remeter a um desejo do artista de direcionar o olhar dos espectadores sobre sua obra, numa tentativa de destacar o que considerava mais importante a ser apreciado. Segundo a curadora Hélène Pinet, as fotografias estão organizadas de forma cronológica, com o objetivo de valorizar o trabalho dos diferentes fotógrafos que produziram para Rodin. "É a diversidade dos pontos de vista destes fotógrafos que a exposição busca ressaltar, além da versatilidade com a qual o escultor utilizou este suporte a partir de 1880, momento em que começou a adquirir reconhecimento", explica.

Em diálogo com as fotografias, 22 esculturas, duas delas de proporções monumentais, formam o acervo. A obra As Três Sombras (1902-1904), retirada do Jardim do Museu Rodin e que jamais havia sido exposta fora de Paris; a versão de A Eterna Primavera, bronze concebido em 1886; e As Bênçãos, peça de mármore feita entre 1896 e 1911, nunca antes mostradas fora do Museu Rodin, são alguns dos destaques da exposição. A técnica e abordagem da anatomia dos corpos que transmite ao espectador sensação de movimento é conseqüência da clara referência que a arte de Rodin tem na obra do renascentista italiano Michelangelo. No entanto, ao contrário do italiano, que esculpia com as próprias mãos o bloco de mármore, Rodin, depois de desenhar, esculpir em formato menor em argila e fazer os moldes em gesso, passava a contar com ajudantes para ampliá-las em outros materiais.
 

Tags: Auguste Rodin